quinta-feira, abril 26, 2007

A Mosca

(Quadro "Desculpa?" de Diego Trapa - Tinta acrílica em tela de 40 cm X 50 cm)
Se aspiras saber, digo que tudo começou e terminou à mesa do café da manhã. E lá estava eu, por óbvio. Não sei se embebido em minha serenidade matinal ou ainda bêbado como um pescador de vestígios fabulosos. Talvez eu não fosse mais tão belo como ontem. Talvez a carroça tenha virado e trazido à tona minha realidade de estivador de remelas. Talvez eu tenha retornado, talvez um mero sonolento solitário.

Naquela manhã de fraca poesia, próximo a um cataclisma onírico, reparei como o som da fritura na panela se assemelha ao caminhar de um Raskolnikov sobre a neve. Mesmo sem nunca ter sentido o gosto da neve, eu sabia que era assim. E se não fosse, qual haveria de ser o problema? Por acaso alguém sabe qual som brota das tempestades solares?

Ah, como meu sangue está pesado... Como estão leves os meus ossos... Preciso de um novo coração! Mas, por favor, não conte isso a ninguém. Conto-lhe apenas para mim.

Ela que perde em habilidade para uma lontra, minha delicada empregada de duzentos quilos, arremessou ao ar um prato com dois ovos fritos e mal passados que, literalmente, ao choque contra a mesa, decolaram numa linha vertical e, em câmera lenta, aterrissaram intactos sobre o mesmo prato.

Nem o acasalamento de duas centopéias seria mais incrível!

Sei que meu estado de espírito àquela hora não comportava qualquer reflexo, e por esse motivo, talvez, lhe afirmo que jamais esquecerei o que vi.

Duas bolas de fogo alçando vôo perante meus olhos, dois cometas desgovernados que subiam alegres, flutuando envoltos por uma camada plasmática de doçura e encanto. E no ápice de sua luta gravitacional permitiram-se deformar, conjugar novos corpos, engolir moscas como uma planta carnívora, unir-se e separar-se como inéditos projetos físicos sob a pena de Deus. Somente depois, em meio à abstração de seus desejos antes contidos, deixaram-se cair. Cair a queda dos vitoriosos. A queda daqueles que triunfam enquanto o fogo queima em suas entranhas. Sem mais, pousaram certos da vitória.

Apenas dois ovos. Dois ovos fritos cientes da verdade do universo. “O mundo é o que eu quero, ou o que sou capaz de querer”, eles diziam. “Não tenha medo das telas em branco... Saiba que elas aceitam tudo”.

Não é preciso lhe dizer que diante daquele par de gemas voadoras não pude esboçar qualquer reação, senão a de voltar a respirar. A da minha empregada, invejo, foi de uma sensibilidade ímpar: a entrega de um gordo sorriso e uma reboladinha escrota ao som de Lemon Tree, que tocava no radinho de pilha mal sintonizado.

17 Comments:

Anonymous Marianna Bretas said...

Aplausos!!!!

Até onde vc pode ir,hein??!!

abril 26, 2007 11:15 AM  
Blogger Pablo said...

Isso é uma obra-prima ainda não reconhecida. Sinto uma angústia profunda ao perceber que quase já se passaram 12 horas desde a sua publicação e nenhum editor veio a comentar tamanha realização humana. Quem sabe não quiseram se pronunciar e estão nos bastidores daquele antro que é o mundo editorial se estapeando pela conquista dos direitos autorais. a parte "Conto-lhe só pra mim" é kafkiana, kunderiana, hobbesiana, wolfiana sei lá. Mas certo é que o romancista do século XXI está entrando mansamente, cuidando seus passos sem querer despertar os males que persistem na aurora boreal.

abril 26, 2007 1:16 PM  
Blogger Bernardo Simbalista said...

Fala Diego, não esqueci daquela nossa conversa no braseiro, eu perdi foi o pedaço de papel que estava anotado o nome do seu blogue... Gostei do que vi e li. Já tá aqui salvo. abraços

maio 04, 2007 6:47 PM  
Anonymous nat said...

demorei, mas tô aqui! rsrss...


quanta coisa pode vir à tona em momentos tão cotidianos, e que tantas vezes nos passam despercebidas... ainda bem que um olhar de artista, volta e meia, não nos deixa esquecer....

bjo grande, amigo.
que eu possa sempre ver um pouquinho da vida através dos seus olhos...

maio 08, 2007 11:56 AM  
Blogger Maíra said...

Conhecendo
gostando...

parabéns

junho 18, 2007 3:31 PM  
Blogger SAMANTHA ABREU said...

Nossa...
que fantástico.

As letras, as telas. A Arte, o Blog..
Parabéns.

julho 18, 2007 9:39 PM  
Anonymous Anônimo said...

Minha primeira visita ao seu blog e adorei. Muito bom o seu texto!

Eliane
www.enquanto.isso.zip.net

agosto 12, 2007 7:09 PM  
Blogger Daniel Basilio said...

Muito bom! Li algumas coisas e gostei! Bom saber que ainda tem gente escrevendo com sensibilidade, sem falsas modernidades!
Abra�o

agosto 16, 2007 2:59 PM  
Blogger Catarse Controlada said...

Olá Diego!
Parabéns cara, gostei do seu texto, você criou belas imagens, como a dos ovos, e a frase do acasalamento das centopéias é muito boa também!
Tenho um blog também, de contos e alguns poemas:
www.catarsecontrolada.blogspot.com

Valeu,
Leonardo Villa-Forte

outubro 03, 2007 2:51 AM  
Blogger Gabriele Fidalgo said...

Aplausos e assobios!!


Texto perfeito e imagens perfeitas.


Muito muito bom!!


Beijos

janeiro 08, 2008 12:59 AM  
Blogger Mr. Ziggy said...

Rapaz, você é ótimo! Perdoe-me o atrevimento, mas já tás linkado, porque voltarei aqui mais vezes para degustar esse tanto de coisa boa aqui. Abraço e parabéns!

janeiro 29, 2008 7:27 PM  
Anonymous Anônimo said...

Ei, Diego, de trivela, mano (como dizem os paulistas), belo trabalho... Pode reunir a papelada (rs) e trabalhar para encontrar um editor. Não tenha pressa, apenas urgência. Quanto mais vc amadurecer esta idéia, o produto ficará melhor.

abç toninho vaz

fevereiro 02, 2008 8:33 AM  
Blogger Zúnica said...

Confesso que, por alguns instantes, Raskolnikov iria baixar em você e a empregada acabaria com uma frigideira enterrada na cabeça e vc fugiria correndo com os ovos dentro do sobretudo. Que bom que me enganei...

As imagens que seu texto compõe são incríveis. As inúmeras referências idem.

Se me permite, quero linkar seu blog ao meu, para que eu possa visitar com mais frequência, e recomendar aos amigos.

Grande abraço!

março 12, 2008 6:42 PM  
Blogger bossa_velha said...

completamente imprevisível. bom demais.

abril 27, 2008 11:54 AM  
Blogger vanessa said...

que delicia

junho 01, 2008 11:09 PM  
Anonymous João Claudio said...

Muito bom Dieguito, parabéns.

Abs e SRN.

junho 15, 2008 1:36 AM  
Anonymous Ro Primo said...

Você é bom :)
Parabéns

janeiro 10, 2009 1:39 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home